Coreia do Sul Implementa Proibição Histórica da Indústria de Carne de Cachorro

Coreia do Sul Implementa Proibição Histórica da Indústria de Carne de Cachorro

Coreia do Sul Implementa Proibição Histórica da Indústria de Carne de Cachorro

Uma Decisão Marcante

Em uma iniciativa inédita, a Coreia do Sul oficialmente votou pela proibição de sua indústria milenar de carne de cachorro.

Esta decisão marca uma mudança significativa na paisagem cultural e legislativa do país.

A Assembleia Nacional aprovou unanimemente o projeto de lei, com 208 votos a favor e nenhum contra, sinalizando um forte compromisso coletivo em acabar com esta prática.

A Proibição: Detalhes e Implementação

Prevista para entrar em vigor em 2027, a proibição abrangerá de forma abrangente a criação, abate e venda de cães para consumo humano.

Os infratores desta lei enfrentarão penalidades severas, incluindo até três anos de prisão ou multas de até 30 milhões de KRW (aproximadamente £18.000).

Como medida imediata, a criação de novas fazendas de cachorros, matadouros e instalações relacionadas à culinária ou processamento agora é proibida.

Mudança Cultural e Demanda em Declínio

Esta mudança legislativa surge em meio a uma evolução da opinião pública na Coreia do Sul.

Uma vez considerada uma prática ligada ao aumento da resistência durante os verões úmidos, o consumo de carne de cachorro viu um declínio significativo, especialmente entre as gerações mais jovens.

Pesquisas atuais indicam que comer carne de cachorro agora é uma raridade, principalmente confinada a demografias mais velhas.

Números da Indústria e Apoio à Transição

O escopo da indústria de carne de cachorro na Coreia do Sul é substancial, com estimativas indicando cerca de 1.100 fazendas criando aproximadamente 570.000 cachorros.

Esses cachorros estavam destinados ao consumo em cerca de 1.600 restaurantes.

A proibição também traz à tona os meios de subsistência daqueles envolvidos na indústria.

Reconhecendo isso, o governo sul-coreano incluiu um período de carência de três anos e está oferecendo suporte para empresas na transição para fora do comércio de carne de cachorro.

Controvérsia e Oposição: Carne de Cachorro

Apesar do amplo apoio, a proibição enfrenta críticas e oposição de certos setores.

Representantes da indústria argumentam que a proibição infringe a liberdade de ocupação e a rotulam como “violência estatal”.

Protestos e recursos por parte dos criadores de cachorros e negócios associados são esperados, espelhando a resistência enfrentada por esforços legislativos semelhantes no passado.

Um Avanço para os Direitos dos Animais

Ativistas e organizações de direitos dos animais saudaram esta decisão como uma vitória histórica.

O presidente Yoon Suk Yeol, conhecido por seu amor aos animais, desempenhou um papel fundamental na obtenção de apoio para a proibição.

JungAh Chae, chefe da Humane Society International na Coreia do Sul, expressou sua alegria com este desenvolvimento, chamando-o de testemunho da resiliência e dedicação do movimento de proteção animal.

Conclusão

A medida da Coreia do Sul para proibir a indústria de carne de cachorro é um passo significativo na alinhamento das leis de bem-estar animal com as mudanças nas normas e atitudes sociais.

Ela representa uma tendência global mais ampla em direção a um tratamento mais humano dos animais e reflete as percepções em evolução sobre os direitos e o bem-estar dos animais na sociedade. À medida que o mundo observa, esta decisão pode potencialmente inspirar ações semelhantes em outros países onde o comércio de carne de cachorro ainda existe.

A Magia das Ondas Gigantes da Avalanche em Vila Velha

Clique em SAIBA MAIS abaixo para ler o artigo completo

Veja outros artigos no nosso site