Separador de seção vermelho

encontrado em idosa após 56 anos: caso raro intriga médicos em Ponta Porã

bebê de pedra

Separador de seção creme

Uma mulher de 86 anos, atendida em um hospital de Ponta Porã, em Mato Grosso do Sul, revelou uma condição médica surpreendente: ela carregava um feto calcificado por mais de 50 anos.

Separador de seção vermelho

Caso raro de litopedia intriga médicos.

Feto calcificado permaneceu no abdômen da idosa por 56 anos.

Linha branca
Localizador off-white
Separador de seção vermelho

Paciente não resistiu após a cirurgia para a retirada da "massa abdominal".

Localizador off-white
Linha branca
Localizador off-white
Separador de seção vermelho

Importância de exames médicos regulares é ressaltada.

I can spend hours at Central Park, but come nighttime...

Localizador off-white
Linha branca

Inicialmente, os profissionais de saúde suspeitaram de um tumor, mas a imagem 3D confirmou a presença do feto calcificado. Diante da situação, foi realizada uma cirurgia para remover a massa do abdômen da paciente, que posteriormente foi transferida para a Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), onde faleceu alguns dias depois.

Linha branca
Localizador off-white

Os médicos consideraram o caso extremamente raro, diagnosticando-o como litopedia, um tipo incomum de gravidez ectópica onde o feto abdominal não viável se calcifica. Esse fenômeno pode permanecer oculto por muitos anos, trazendo riscos de complicações a longo prazo.

Dados Relevantes:** * Idade da paciente: 86 anos * Local: Ponta Porã, Mato Grosso do Sul * Hospital: Hospital Regional de Ponta Porã * Data da internação: 14 de março de 2024 * Diagnóstico: Litopedia (feto calcificado) * Cirurgia: Retirada da "massa abdominal" * Local após a cirurgia: Unidade de Terapia Intensiva (UTI) * Óbito: Sim, alguns dias após a cirurgia