Confira: Uma Imagem inédita da catadora de papel  

Dona Domingas

Dona Domingas era uma mulher negra e  idosa, catadora de papel que residia perto da casa de Carlo Crepaz, no bairro de Santo Antônio. Figura muito conhecida em Vitória, percorria as ruas, diariamente, a pé, carregando um sacolão e um porrete de madeira 

Foto Exclusiva Revela Dona Domingas em Vida

Seta rabiscada

Segundo o sobrinho parece que foi tirada no Cemitério de Santo Antonio anos 40

Apesar da fama de mal-humorada aceitou ser modelo do escultor italiano que ao observá-la, produziu uma das suas mais belas obras de arte.

Por informação do prefeito da época, Chrisógono Teixeira da Cruz, que a adquiriu no ateliê do artista, a escultura foi colocada na praça, na década de 1970, como homenagem ao trabalhador negro. 

A matriz, em madeira, tem a data de 1959, escrita pelo próprio artista. Além dessa existem mais 3 esculturas retratando Dona Domingas: as de madeira estão em Ortisei/Itália e no MNBA/Rio, esta última com o título ANOITECER e outra em bronze que foi vendida a um comprador do interior do Espírito Santo. 

 Foi publicada no site do Clube dos Autores. Até então, não se conhecia a data de seu nascimento e morte. No entanto, encontramos na Certidão Tardia de Nascimento, registrada em 18/08/1964 no Cartório Zilma Leite Figueira, ela nasceu em 23 de março de 1884, no Rio de Janeiro.

Contudo, como muitos dados não estão corretos, confirmados pela família, seguimos a tradição oral, bem como, todos os depoimentos tomados para construir a biografia de dona Domingas.

A mãe de dona Domingas não pode dar um estudo digno aos filhos. Na época os poucos colégios que tinham ao redor do Palácio eram para as famílias mais abastadas. Mesmo assim o imperador Pedro II escreveu em suas anotações em visita a escola professora Vitória Antunes da Penha :

Sua família veio de Açores na segunda metade do século XIX e foram morar no morro do Palácio. Permaneceram por algum tempo. Dona Domingas e sua irmã Olíria gostavam de pegar caranguejos nas águas que batiam perto do Palácio, onde hoje é a escadaria.

Frase de Dona Domingas. (1954)  A Pietà do Lixo – Dona Dominga  “Você não sabe o que é a escravidão. É muito triste ficar com correntes no pescoço.”

VEJA TAMBÉM

..................................................

..................................................